O sucesso de um bom atendimento ao consumidor é ter uma equipe motivada

Insatisfação na internet

Os gestores de atendimento ao consumidor online têm um grande desafio: manter uma equipe capacitada e motivada. Atender o e-consumidor é uma tarefa que exige ter informações coesas, pessoas seguras e respostas rápidas.

Os problemas estruturais e operacionais do e-commerce fazem com que extravios, atrasos na entrega, problemas com operadora de cartão de crédito e fraudes aconteçam e, por mais que operação seja eficiente e os prazos cumpridos, reclamações são inevitáveis.

Saber responder rápido e trazer a solução para o cliente pode gerar um futuro elogio e até novas compras. Este é o grande segredo do departamento.

Redes Sociais e Reclame Aqui são dois dos vários canais em que o consumidor pode dividir sua má experiência.

Dicas essenciais para gerar motivação e conhecimento:

Treinar, Ensinar, Capacitar e Renovar!

  • Ter um manual dos processos curto, visual e usual auxilia no dia a dia. Melhor ainda se houver um sistema com todas as informações, como uma FAQ.
  • Nada melhor do que um bom exemplo. Experimente atender junto com a equipe e demostrar boas práticas.
  • Criar regrinhas básicas de boa escrita, treinamentos rápidos e dicas diárias ajudam na formulação de respostas. Textos semiprontos podem ser utilizados, mas sempre com cuidado para não transmitir mensagens frias ou mecânicas.
  • Navegar na loja, experimentar, comprar e testar novas funcionalidades é essencial para a equipe e toda a corporação. Nada deveria ser lançado sem a avaliação da equipe de atendimento.

Remunerar, Bonificar e Premiar!

  • Criar métricas de competições saudáveis para a equipe contribuem para a energia do funcionário no dia a dia.
  • Monitorar, ouvir e ler o que a equipe faz diariamente, ajuda a premiar os melhores e reciclar o desempenho.
  • Na hora de contratar é importante encontrar pessoas que realmente desejam trabalhar com atendimento.

Diante disso, torna-se essencial conscientizar a equipe de que um bom trabalho, aliado aos estudos e à vontade de crescer, qualificam uma carreira promissora no varejo online.

Gestores e empresários precisam ter essa consciência e viver esse sentimento.

Fonte: Canaltech Corporate
Anúncios

Crise e tecnologia: o momento é de inovação

Crise

O Brasil começou o ano de 2015 com os dois pés nos freios da economia. O Boletim Focus, preparado pelo Banco Central, estima que a expansão da economia, em 2016, deverá ser de 0,9% e que, este ano, ela deve encolher 1,35%.

Como resultado desta retração — somado à alta do dólar e à inflação, que ameaça retornar com força, atingindo itens essenciais para a vida das pessoas e também para o mercado corporativo — teremos pela frente aumentos de luz, água, combustíveis, telefone e outros.

Se a crise ameaça as empresas de um lado, de outro a capacidade de sobrevivência exige inovação e, nesse sentido, a Tecnologia da Informação é uma aliada importante. O mercado já percebeu isso, tanto que, de acordo com uma pesquisa realizada pela Abranet (Associação Brasileira de Internet), entre 2012 e 2014, as empresas de telecomunicações, serviços de TI e prestação de serviços de comunicação viram seu faturamento crescer de R$ 96,4 bilhões para R$ 144,7 bilhões no período, o que representa quase 2% do faturamento de todas as empresas brasileiras.

Por trás da frieza dos números há uma tendência clara: apertadas pela crise e por mercados cada vez mais competitivos, as empresas brasileiras estão recorrendo à tecnologia para reduzir custos sem causar prejuízos na produtividade e qualidade de seus produtos e serviços. E isso inclui o uso de certas tecnologia em diversas frentes. Uma delas é a disponibilidade de dados, que garante que as informações e sistemas da companhia estarão protegidos e no ar sempre que necessário — o que pode ser 24 horas por dia, principalmente para os negócios modernos.

Não se trata apenas de fazer o backup e recuperar dados, que por si só já seriam benefícios bem interessantes. Mas a disponibilidade vai além e trata de prevenir falhas e evitar grandes prejuízos — tanto econômicos como de reputação — garantindo que aplicações e sistemas estejam sempre atualizados e operacionais. É possível imaginar o que pode causar um sistema de notas fiscais eletrônicas fora do ar? Ou ainda uma loja online indisponível por algumas horas? Ou um ERP desligado durante um dia ou dois? De acordo com a pesquisa Veeam Data Center Availability Report 2014, realizada com 760 CIOs, as empresas sofrem mais de R$ 7 milhões em prejuízos anuais por períodos de inatividade e perda de dados com suas soluções de backup legado. Outros números interessantes do estudo mostram que:

  • 81% das empresas estão envolvidas na modernização do data center para atingir as crescentes demandas de acesso 24 horas, 7 dias por semana, a serviços e aplicativos de TI, e para capacitar o Always-On Business (negócios em operação constante);
  • 90% das empresas buscam minimizar períodos de inatividade e garantir o acesso aos dados;

Hoje, empresas avançadas estão buscando oportunidades de investimentos em tecnologias, já que a TI permite que as organizações não apenas reduzam custos operacionais, mas mudem a maneira que elas operam. Por exemplo, a loja de artigos esportivos Netshoes, que começou com lojas físicas e, em 2007, decidiu entrar total e exclusivamente para o e-commerce. Agora, a Netshoes é um dos comércios eletrônicos que mais cresce no Brasil e que expandiu também para a Argentina e México, e a empresa investe constantemente em novas tecnologias. E se não tivesse apostado nelas para realizar as vendas 24 horas por dia, muito provavelmente não teria crescido como cresceu. Outro exemplo é o Itaú Unibanco, que recentemente inaugurou um novo data center em Mogi Mirim, São Paulo. O investimento na área de 815 mil metros quadrados não foi baixo — R$ 3,3 bilhões no total —, mas as tecnologias avançadas vão permitir que o banco aumente a capacidade de processamento e armazenamento das operações em 25 vezes, o que garante o suporte aos negócios da empresa até 2050.

Aqui os números e exemplos dão uma demonstração prática do quanto a disponibilidade vem ganhando importância dentro das corporações. E é preciso ficar cada vez mais claro para as organizações que, para combater a crise econômica e garantir a sobrevivência no mercado, é necessário usar as tecnologias certas a favor da inovação, da resolução de problemas e de serviços mais eficientes capazes de gerar mais oportunidades de negócio. Ignorar o fato de que tais tecnologias existem e que podem até ter um custo acessível afeta a produtividade e, consequentemente, o valor econômico da empresa, especialmente em momentos difíceis de crise e mudanças. Em um mercado global e online, o Always-On Business não é mais uma opção, mas uma obrigação.

Fonte: Canaltech Corporate

A necessidade de ter um plano adequado contra a cibercriminalidade

Hacker

Podemos citar vários avanços tecnológicos que surgiram nos últimos anos. Antes, era um privilégio ter acesso à internet, tanto que não era uma prioridade para muitos, mas agora há uma necessidade de estar conectado, tanto no trabalho, quanto nas horas de lazer.

A internet tem nos dado muitas vantagens. Processos foram melhorados, as comunicações foram racionalizadas e o papel virou código binário. E como informação digital também é dinheiro, devemos sempre permanecer vigilantes para evitar ciberfraudes.

Como a ameaça de criminosos estavam se tornando mais complexas, os usuários foram obrigados a aumentar sua segurança. O cibercrime é uma fábrica especializada em roubo de produtos financeiros pessoais de informação e transações de comércio eletrônico e negócios.

De acordo com um estudo divulgado pela Comissão Econômica das Nações Unidas para a América Latina e o Caribe (CEPAL), os custos de crimes cibernéticos somaram US$ 113,000 milhões em 2013, em 24 países.

A questão não é só prevenir, mas ter um sistema de alerta rápido para combater ataques o mais rápido possível, minimizando perdas e expondo o crime cibernético. De acordo com os nossos estudos, no primeiro semestre de 2014, o roubo de identidade resultou em perdas de US 2.200 bilhões em empresas globais. A segurança cibernética tornou-se prioridade na vida de muitas pessoas e empresas.

Mas você não precisa ser parte de uma grande organização para começar a aplicar políticas antifraude. Veja algumas recomendações para fazer um bom uso da informação digital:

  • Desconfie de e-mails cujo remetente você desconheça. Evite acessar páginas ou links para promoções, lembretes ou atualizações de documentos que aparecem em sua caixa de entrada sem mais, nem menos.
  • Use senhas complexas, com números, letras e que, de preferência, só você saiba. Não guarde como parte da memória do computador.
  • Limite a quantidade de informações que você compartilha sobre si mesmo em redes sociais.
  • Desligue rastreamento e localização geográfica em aplicativos em que essa funcionalidade seja desnecessária.
  • Fala sempre o logout de aplicativos online e móveis quando terminar de usá-los.
  • Evite o uso de Wi-Fi abertos para realizar operações sensíveis.
  • Use autenticação para e-mail e outras contas online que oferecem esse serviço.
  • Mantenha seus dispositivos com as últimas atualizações de software e segurança.
  • Compreenda e faça os ajustes das configurações de privacidade dos serviços de internet, aplicações móveis e dispositivos que você usa.
Fonte: Canaltech Corporate

Curso de Design para WordPress (Gratuito)

E aí, pessoal, tudo em cima ???

O GSIPE tem o prazer de apoiar a série de cursos de tecnologia do Bruno Ávila, do Canal TV Bruno Ávila.

Nestes primeiros vídeos, você visualizar um curso voltado para criação de sites através do mais usado CMS (Custom Management System ou sistema de gerenciamento de conteúdo). Aprenda de uma vez por todas como criar temas e templates para WordPress, um dos gerenciadores de blogs mais utilizados no Mundo. Descubra como desenvolver layouts próprios, sem necessidade de usar temas prontos para criar novos temas. Todas as dicas e segredos da criação de design para WordPress em mais um curso exclusivo, essencial para todo profissional ligado a criação web.

Não é sempre que um curso de Design para WordPress gratuito aparece na sua tela, né ??? Então, aproveite e participe, dando sugestões e dicas no canal TV Bruno Ávila.

Sete lições para motivar e manter talentos

Talentos

Um dos maiores desafios que empresários têm é atrair e manter talentos. Baseado na minha experiência como empreendedor, posso dizer que acertei, mas, também, cometi erros que resultaram na perda de talentos-chave nas empresas que participei. Listo sete lições para que empresários consigam manter essas pessoas importantes para seu negócio:

1. Definir claramente os papéis e responsabilidades: Em uma startup, todos acabam fazendo de tudo, mas é preciso deixar claro que o “proprietário” é a chave. Ele cria transparência possível, para que todos saibam quem é responsável por cada iniciativa.

2. Ouça tudo o que você puder: Escute o que os membros da sua equipe têm a falar. Tire um tempo para saber suas opiniões sobre a empresa, o produto ou serviço em questão, como eles se sentem sobre seus trabalhos e o que está acontecendo em suas vidas pessoais. Muitas vezes, não temos que fazer nada de diferente; o fato de passar o tempo escutando faz a diferença.

3. Comunique claramente as prioridades: Como líder de uma empresa, provavelmente você terá que lidar com 20 coisas ao mesmo tempo.  Entretanto, as prioridade  devem estar muito bem definidas, sendo necessário comunicar e transmiti-las através da organização. Tente não ter mais do que três grandes iniciativas de uma vez só. Se você precisar mudar de direção, comunique de forma proativa a mudança que deve ser feita e a razão de fazê-la.

4. Encontre as desavenças e ataque-as de forma proativa: Uma pessoa que não está bem, pode contagiar o restante. Não permita que uma pessoa ou um pequeno grupo de pessoas que não estão felizes, contaminem o restante da empresa. Não tenha medo de deixar ir embora membros da equipe que são bons em nível de execução, mas não colaboram com um bom ambiente de trabalho.

5. Deixe claro quais são as expectativas de cada função e a cultura que busca promover na empresa: há empresas onde a maioria das pessoas trabalham remotamente e funcionam perfeitamente, e há empresas que parecem um acampamento de férias onde todos os funcionários fazem o seu trabalho com êxito. Escolha qual cultura que você deseja criar e selecione as ferramentas para reforçar o caminho que você escolheu.

6. Dedique um tempo para entender os tipos de personalidades que existem na sua equipe e explique a sua: Alguns são hiperativos, outros calmos, alguns extrovertidos, outros introvertidos, alguns são organizados, outros sofrem de déficit de atenção. Entender as personalidades de cada um ajuda a saber como interagir melhor e evitar erros de interpretação. Uma boa ferramenta utilizada por várias organizações para determinar personalidades dinâmicas e melhorar trabalho em grupo é o Indicador Myers-Briggs .

7. Certifique-se de que membros da sua equipe se sintam valorizados: Não existe uma fórmula mágica motivadora. E se há uma coisa que eu posso dizer é que a coisa mais importante em reter talentos é fazer com que as pessoas se sintam valorizadas. Há muitas maneiras de fazer isso, seja com reconhecimento público, recompensas monetárias ou apenas tomar o tempo para ter conversas frente a frente. Como em outros aspectos da vida, todos nós gostamos de nos sentir respeitados e relevantes.

Fonte: Canaltech Corporate

Quais características profissionais de TI devem ter para encantar recrutadores?

Administrador de sistemas

Mesmo com o turbulento período de crise e a recessão que o País atravessa, alguns setores continuam mantendo índices satisfatórios de contratação. O mercado de TI é uma das áreas que segue aquecida e operando intensamente.

As vagas da área de TI sempre foram motivo de debates, visto que esse setor no Brasil já sofreu muito com os gaps nas contratações. A demanda sempre foi alta e a mão de obra não cobria a procura. Faltavam profissionais qualificados para vagas não tão comuns. Há não muito tempo, acompanhamos até a migração de mão de obra de fora do País para suprir essa necessidade.

Com o passar dos anos e com a aceleração do ensino e preparo de profissionais especializados, o cenário vem adquirindo uma nova perspectiva – bem mais otimista que em outros setores. As empresas de tecnologia que desembarcam no Brasil, ou até mesmo as nacionais, já possuem em seu comando profissionais com excelente formação e experiência. Porém, mais do que um bom curso preparatório, vivência na área, fluência em outras línguas e um bom currículo, o profissional de TI deve apresentar características que transcendam a todos esses requisitos, tais como:

1. Conhecimento

Entre as características que nós buscamos nesses profissionais está a paixão pela tecnologia e a constante sede de aprendizado e conhecimento. Pode parecer óbvio, mas um candidato que sabe demonstrar que tem conhecimento e expertise para aplicá-lo, já no momento da entrevista, pode ganhar alguns pontos em relação aos seus concorrentes.

2. Domínio sobre o negócio

Mais do que o conhecimento de suas funções específicas, as empresas desejam profissionais cada vez mais conscientes sobre o negócio da companhia. Por isso, é interessante que os candidatos possuam domínio sobre a organização como um todo, e não apenas no que diz respeito à sua área. Integrar as áreas da empresa pode agilizar a entrega dos projetos, o que é um ponto positivo ao profissional.

3. Comunicação

Outra característica importante é ter alta capacidade de comunicação. Uma boa comunicação no momento da entrevista é imprescindível, e também pode ser a chance para o sucesso e crescimento dentro da empresa, já que o profissional poderá atuar em parceria com outras lideranças. Ruídos podem comprometer projetos e acarretar danos difíceis de reverter.

4. Ser o administrador das mudanças

A tecnologia é o campo da transformação e, por isso, os processos da área de TI mudam com frequência. Quem atua nessa área deve estar preparado para administrar as mudanças que acontecem com o dia a dia. Ser ousado e propor alterações na rota também são sinais de que o profissional pensa além, e pode auxiliar no crescimento da empresa.

5. Ser o rei do Big Data

Big Data é um dos assuntos mais comentados nos últimos tempos. Um profissional com formação e estratégia para administrar e analisar os dados de uma empresa ou mercado se sobressai em relação aos demais aspirantes à vaga. A formação no conceito sobre o tema deve ser exemplar, e a experiência em governança de dados, imprescindível.

6. Poder de decisão

Mais do que uma boa formação acadêmica, o profissional deve apresentar forte poder de resolução e controle. Uma visão ampla sobre o negócio ajudará exatamente na tomada de decisões, que terão muito mais chances de serem assertivas.

7. Relacionamento

Não é somente o que o profissional diz sobre si mesmo que levamos em consideração. O que o mercado diz sobre sua trajetória profissional pode traduzir quem o candidato é ajudando o recrutador a definir os traços de sua personalidade e comportamento. Por isso, manter um bom relacionamento é de extrema importância, e, portanto, essa é uma característica muito valorizada nesse profissional.

8. Inovação

O novo perfil do profissional de TI pede uma pessoa muito mais arrojada, pouco presa às estruturas conhecidas dentro desse setor. Ele deve possuir visão empreendedora, criando novos portfólios de serviços para a empresa e melhorando os serviços já ofertados. Inovação deve sair do papel e ir para a prática na mão desse profissional. Para isso, o domínio da equipe é também fundamental.

Fonte: Canaltech Corporate

Nostalgia: relembre os sons de inicialização do Windows

Windows

No dia 24 de agosto de 1995 a Microsoft apresentava ao mundo o Windows 95. Isso significa que neste ano uma das versões mais populares do sistema operacional da empresa de Redmond comemora seu 20º aniversário. Considerado um dos SO mais influentes de todos os tempos, é incrível pensar que já faz duas décadas desde sua estreia.

Viajar pela história do Windows, desde o seu nascimento até o esperado lançamento do Windows 10, nos faz ver como as cosias mudaram, incluindo a evolução do Menu Iniciar, mas poucas coisas mudaram tanto quanto os efeitos sonoros do sistema operacional.

Depois de celebrar este aniversário tão importante para o mundo da tecnologia com uma lista de 10 curiosidades sobre os 20 anos do Windows 95, chegou a vez de mostrar o caminho trilhado pelo sistema da Microsoft por meio das diferentes versões de sons utilizados durante a inicialização da plataforma. Confira a “história sonora” do Windows.

Windows 3.1 (1992)

Em maio de 1990 a Microsoft anunciou o lançamento do Windows 3.0, seguido rapidamente pelo Windows 3.1, em 1992. Juntos, eles venderam 10 milhões de cópias nos dois primeiros anos, tornando o Windows o sistema operacional mais usado até então. Pode-se dizer que estas foram as primeiras versões do Windows, pelo menos na forma que a maioria das pessoas entendem o sistema operacional.

O som de inicialização do Windows 3.1 é certamente o mais primitivo de todos. Ele soa exatamente como um efeito que surgiu numa época em que as pessoas ainda estavam descobrindo como fazer sons digitais de qualidade.

Windows 95 (1995)

O Windows 95 estabeleceu um novo recorde para a Microsoft e para o mercado de tecnologia: 7 milhões de cópias vendidas nas primeiras cinco semanas. Os comerciais de televisão do sistema operacional traziam os Rolling Stones cantando “Start Me Up”, com imagens do novo botão Iniciar. Além do menu Iniciar, o Windows 95 marcou a primeira aparição da barra de tarefas e dos botões “Minimizar”, “Maximizar” e “Fechar” nas janelas.

Em relação ao som de inicialização do Windows 95, é importante dizer que ele também tem sua própria história. Quando esta versão do sistema foi desenvolvida, os executivos encomendaram ao músico, compositor e produtor musical britânico Brian Eno a criação de um áudio para ser executado durante a inicialização do SO.

Eno é conhecido por ser um dos pioneiros da ambient music, faixas longas com sons que ficam no “limite entre melodia e textura”. O músico também é muito conhecido por seu trabalho como produtor de grandes nomes como Talking Heads, U2, David Bowie, Coldplay, entre outros.

Mas a encomenda da Microsoft pedia algo mais curto, “inspirador, universal, otimista, futurista, sentimental, emocional”, como descreveu o próprio compositor ao citar o pedido da empresa. O detalhe é que todos esses adjetivos deveriam ser transmitidos por um som com apenas 3,25 segundos de duração.

Eno acertou em cheio na criação de um dos efeitos sonoros mais memoráveis da história da computação moderna. Uma curiosidade: ele criou o tema usando um Mac. “Eu nunca usei um PC na minha vida; eu não gosto deles”, revelou em uma de suas entrevistas.

Windows 98 (1998)

Lançado em 25 de junho de 1998, o Windows 98 é a primeira versão do Windows projetada especificamente para os consumidores e a última versão baseada em MS‑DOS. O som de inicialização desta versão do sistema é mais arejado, sublime e triunfante do que seu antecessor, mas ainda assim ele precisa de um pouco mais de personalidade.

Se comparado ao áudio do Windows 95, que foi feito sob encomenda e envolveu todo um processo criativo, podemos dizer que o som de inicialização do Windows 1998 ficou um pouco genérico e poderia facilmente ser associado a qualquer outra marca.

Windows ME (2000)

O Windows Millennium Edition, ou ME, foi lançado pela Microsoft em 14 de setembro de 2000, sendo o sucessor do Windows 98. O suporte ao cliente do Windows ME foi de apenas 6 anos, terminando em 11 de julho de 2006. Esta versão do sistema foi considerada por muitos como um dos maiores erros da empresa de Redmond de todos os tempos no campo de sistemas operacionais.

Entre diversos problemas com software, incompatibilidade de hardware e clientes insatisfeitos, o Windows ME também teve o seu próprio som de inicialização e não poderia ficar de fora desta lista.

Windows XP (2001)

Em 25 de outubro de 2001, o Windows XP foi lançado em 25 idiomas. Para a Microsoft, esta versão do sistema operacional se tornou um de seus produtos mais vendidos nos anos seguintes, entre outros motivos, por ser mais rápido e estável que seus antecessores. Durante muitos anos ele deteve o título de “sistema operacional mais popular do mundo”.

Apesar do som de inicialização do Windows ME não ser tão ruim quanto o sistema em si, quem chegou para bater de frente com o Windows 95 em termos de áudio marcante foi o Windows XP. Considerando seu longo tempo de reinado, é fácil dizer por que o som do Windows XP atualmente é mais reconhecido do que o som do Windows 95.

Windows Vista (2007)

O sucessor do Windows XP trouxe consigo uma grande modificação em termos de design, com a introdução de janelas transparentes e curvas mais sutis. Apesar do Vista não ter caído completamente nas graças do público, seu som de inicialização se tornou amplamente conhecido por também ser utilizado no popular Windows 7, que não teve um som de inicialização para chamar de seu.

Em relação à criação do efeito sonoro, Steve Ball, que liderou a Equipe de Som do Windows para o Vista, explica que houve algumas boas intenções por trás do design de som do sistema.

“Os sons do XP foram projetados para complementar o ambiente de trabalho ‘foto realista’ Bliss. Os sons do Windows XP também são bastante percussivos e dissonantes no contexto do dia a dia do PC, por isso reorquestrar o padrão de sons do Windows Vista foi uma meta explícita para complementar os temas mais suaves e limpos e os elementos da interface do usuário no Windows Vista”, explicou Ball.

Ele ainda comentou que a Microsoft queria dar a impressão de que os sons do esquema de janelas fossem feitos com vidro. Neste contexto, os usuários deveriam notar uma correlação entre os sons e os efeitos transparentes de vidro na interface do sistema.

O som de inicialização sempre foi uma característica do Windows, mas o Windows 8 não trouxe mudanças nesse aspecto. O mesmo se aplica ao recém-lançado Windows 10. Será esse o fim do legado do som de inicialização do Windows?

Coleção completa 

Aqui é possível ouvir a coleção completa de sons de inicialização e de encerramento desde o primeiro Windows até o Windows 8.1. Confira:

Fonte: Canaltech

Cartão digital de saúde do SUS agora está disponível para Android

Cartão SUS

O cartão físico do SUS já pode ser aposentado, pelo menos por quem utiliza o sistema Android em seu smartphone. O novo aplicativo do Sistema Único de Saúde, que deverá ser disponibilizado também para usuários de iOS até novembro, guarda não somente os dados pessoais e número de inscrição do paciente, como informações sobre sua saúde.

Disponível para download na Play Store, o app pede que o usuário insira seu número de CPF, data de nascimento e e-mail para que possa “bater” as informações com a base de dados da Receita Federal, concluindo a autenticação. Após essa etapa, o usuário terá acesso ao seu perfil de saúde, onde poderá preencher dados relacionados à sua saúde como a ocorrência de alergias, pressão alta, diabetes, se faz uso contínuo de medicamentos e armazenar exames relevantes previamente realizados.

Aplicativo Cartão SUS

O aplicativo também registra em gráficos a evolução dos dados inseridos com o tempo e apresenta todas essas informações ao médico durante o atendimento, facilitando o processo. Além disso, o app também tem um espaço para registrar contatos de emergência, o que poderá, literalmente, salvar vidas.

A criação de um aplicativo como esse é um passo significativo para a implantação de prontuários eletrônicos, que poderão ser acessados de qualquer unidade de serviço público de saúde. O resultado será, em teoria, um atendimento mais rápido e eficiente para todos. Com a popularização do uso do app, o Ministério da Saúde espera, também, economizar recursos. Somente em 2014, por exemplo, o MS destinou R$ 4 milhões para a compra de mais de 13 milhões de mídias plásticas do cartão, gasto que poderá ser redirecionado para melhorias no Sistema Público de Saúde com a redução do uso de cartões físicos.

Fonte: Canaltech

10 editores de vídeo para Linux

Editores de vídeo no Linux

O Linux já não assusta tanto quanto antigamente, especialmente porque as inúmeras distribuições do sistema disponíveis na atualidade oferecem ambientes cada vez mais amigáveis e variados. Além disso, junto com isso também aumentam as opções de programas compatíveis com o SO do pinguim.

Um gênero com boas alternativas para os usuários é o de editores de vídeos. Com opções pagas e gratuitas que vão das mais básicas às mais profissionais, utilizadas inclusive por equipes de Hollywood, manipular vídeos em todos os aspectos no Linux é algo que se torna cada vez mais interessante.

Nós preparamos uma seleção com 10 softwares capazes de oferecer diferentes recursos de edição de vídeo para quem usa Linux. Se você anda em busca de um bom programa do gênero para instalar em sua máquina, provavelmente vai encontrá-lo aqui. Confira:

1. Avidemux

Editores de vídeo no Linux

Um dos nomes mais básicos e conhecidos dos editores de vídeo para Linux, o Avidemux é figura carimbada em basicamente qualquer lista do gênero há anos. Ele tem apenas recursos básicos e serve mais como uma ferramenta especializada nas funções de corte e junção de arquivos de vídeo.

Além disso, você pode mudar a codificação de um vídeo, alterando seu formato sem perder qualidade, por exemplo. Ele trabalha com os principais formatos da atualidade e ainda tem predefinições específicas para alguns dispositivos (como iPod ou PSP), servindo também como uma ferramenta para adaptação dos seus vídeos.

2. Blender

Editores de vídeo no Linux

O Blender é um dos principais nomes da atualidade quando se fala em computação gráfica e animação tridimensional. O aplicativo, que é open source, conta com versão para Linux e roda tranquilamente nas principais distribuições e apresenta ferramentas avançadas para a criação de animações.

O programa é tão diversificado e poderoso que é usado não somente para a montagem de filmes 3D, mas também para a criação de games. Para você ter uma ideia do potencial deste software, basta dar uma olhada na seção com algumas animações feitas usando o Blender.

3. Cinelerra

Editores de vídeo no Linux

Disponível na web desde 2002, o Cinelerra é outro editor de vídeo clássico para Linux que oferece bons recursos. O programa trabalha com áudio e vídeo sem deixar de lado a qualidade, garantindo a fidelidade de som e imagem no seu produto final, algo essencial para qualquer programa do gênero que se preze.

Recentemente, o programa vem mudando e seus desenvolvedores focaram bastante na questão de desempenho. Assim, ele promete oferecer seus recursos básicos e avançados de maneira ainda mais efetiva, garantindo tudo com efeitos de transição, suporte para trilha sonora, além de filtros para dar novas caras ao som e às imagens de seu vídeo.

4. Flowblade Movie Editor

Editores de vídeo no Linux

O Flowblade é um editor melhor do que o Avidemux, mas não tão cheio de recursos quanto o Cinelerra. Ele também tem um visual muito simples, o que pode ser um ponto positivo dependendo do tipo de usuário que você é. De qualquer maneira, ele conta com inúmeras faixas para comportar áudio, imagens estáticas e vídeos, além de filtros e muito mais.

É possível manipular diversos aspectos de um item adicionado à linha do tempo do Flowblade, algo essencial mesmo para um programa básico. Suas ferramentas ficam expostas de maneira clara na tela inicial, com tudo muito bem organizado e com bastante informação para você. Enfim, uma boa opção para editar seus vídeos no Linux.

5. Kdenlive

Editores de vídeo no Linux

Quando se fala em edição de vídeo no ambiente gráfico KDE, o Kdenlive é o primeiro nome que vem à mente. O programa está no mesmo patamar do Cinelerra e conta com recursos além do básico para quem vai manipular vídeos com ele. Sistema multifaixas, linha do tempo e interface organizada e intuitiva são alguns de seus trunfos.

Uma de suas vantagens, assim como acontece no Cinelerra, é o fato de ser atualizado constantemente. Isso quer dizer que, além das novidades adicionadas ao programa sempre que algo do tipo acontece, ele também costuma receber correções e atualizações que garantem estabilidade para o desenvolvimento de seus projetos.

6. Ligthworks

No Linux também funciona

Provavelmente o nome mais avançado desta lista, o Lightworks é figura carimbada nas montagens de vídeos para Hollywood. O programa já está na ativa há mais de duas décadas e foi utilizado para a edição de filmes clássicos como O Discurso do Rei e Pulp Fiction.

Apenas isso já dá uma ideia de como este programa pode ajudar você. Ele não é totalmente gratuito, funcionando em um esquema freemium — ou seja, você pode usar alguns recursos sem pagar nada, mas deve desembolsar algum dinheiro para acessar funções mais avançadas ou específicas.

7. LiVES

Editores de vídeo no Linux

O LiVES não tem este nome à toa: além de ser um tradicional editor de vídeo não linear, ou seja, com linha do tempo no qual você pode editar qualquer trecho a qualquer momento, ele também serve para a realização de transmissões ao vivo. Assim, se as suas necessidades vão além da simples edição, este pode ser um ótimo auxiliar.

E ele ainda garante recursos que vão satisfazer aqueles mais apegados às questões técnicas, permitindo controle completo dos detalhes de um vídeo. A lista de recursos do LiVES é impressionante, então basta abusar da sua criatividade na hora de manipular um vídeo por aqui.

8. OpenShot

Editores de vídeo no Linux

Básico tanto quanto a recursos quanto no aspecto visual, o OpenShot é uma espécie de Windows Movie Maker. Ele conta com sistema multifaixas e ainda oferece uma série de efeitos e filtros para você dar um toque especial aos sons e às imagens que reúne dentro do seu filme.

Efeitos de transição, títulos animados e em 3D, recursos para criação de intertítulos e legendas, controle completo dos clipes de vídeo e de áudio adicionados à linha do tempo e muitos outros fazem parte da extensa lista de possibilidades oferecidas por este programa.

9. PiTiVi

Editores de vídeo no Linux

Outro nome clássico quando se fala em edição de vídeo no Linux, o PiTiVi tem um visual moderno e vem se tornando uma opção bastante robusta para a manipulação e junção de imagens e áudio em uma coisa só. Este software tem uma pegada bastante semelhante à do OpenShot, disputando com ele a faixa de usuários que procuram simplicidade.

Mas, assim como o “rival”, simplicidade não significa ausência de bons recursos. Aqui estão reunidas diversas ferramentas que garantem praticidade e precisão no desenvolvimento dos seus projetos. Suporte a inúmeros formatos de vídeo, efeitos de transição, filtros de imagem e de áudio e muito mais complementam a experiência.

10. Vivia

Editores de vídeo no Linux

O Vivia não é a melhor das alternativas, mas pode ser útil para quem quer o básico (recortar, juntar e exportar) sem firulas. Ele tem um aspecto e uma proposta bastante parecidos com os do Avidemux, sendo uma boa alternativa para quem não se deu bem com o programa, mas ainda não quer partir para algo mais elaborado.

Este software oferece recursos simples, mas tudo está bem organizado. Seu visual é facilmente compreendido e usufruir de todos as suas ferramentas não será um desafio para a maioria dos usuários. Recorrer ao Vivia pode ser a opção mais viável para quem está começando no ramo da edição e ainda não tem necessidades avançadas quanto a isso.

Fonte: Canaltech

7 coisas que você fazia no Windows e também pode fazer no Linux

Linux

Usar alguma distribuição Linux hoje é algo plenamente possível para a maioria das pessoas. Isso porque, atualmente, inúmeros sistemas bem amigáveis ao usuário comum estão disponíveis para download gratuitamente na web, a alguns cliques de distância de qualquer pessoa.

Salvo casos em que há a necessidade muito específica de algum programa, na maioria das vezes utilizar Linux não vai limitar em nada a sua experiência com o computador. Pelo contrário, pode até mesmo incentivar você a superar barreiras e alcançar novos conhecimentos, além de aproveitar um ambiente que oferece autonomia e favorece o desenvolvimento do software livre.

Para mostrar a você que usar o Linux não significa necessariamente limitar a forma como se usa um computador, nós preparamos este artigo. Aqui, listamos algumas coisas que podem ser feitas no Linux e que talvez você nem fizesse ideia. Então, vamos lá.

1. Manipular e editar de imagens

No Linux também funcionaGIMP é uma das principais alternativas ao Photoshop da atualidade. (Foto: Divulgação/Site oficial)

Quando se fala em edição e manipulação de imagens no Windows, o primeiro nome que vem à cabeça é o Photoshop. Outros programas consagrados do gênero, como Corel PhotoPaint, também são marcas facilmente lembradas até mesmo por quem nunca abriu a tela destes softwares.

Infelizmente, eles não contam com versões oficiais para Linux, mas isso não significa que o gênero não conta com ótimos representantes para o sistema operacional livre. Destes, o mais famoso de todos é o GIMP, manipulador de imagens que tem, inclusive, versão para Windows e oferece recursos avançados para quem precisa editar fotos de maneira avançada.

Há ainda outros programas que reúnem ferramentas de respeito quando o assunto é a edição e manipulação de imagens, como o Pinta, ou ainda o MyPaint e o Krita, programas também gratuitos, mas com foco maior na criação de pinturas digitais.

2. Editar vídeos à vontade

No Linux também funcionaLightworks é um dos melhores editores de vídeo do mundo. (Foto: Editshare/YouTube)

Se editar imagem, criar publicações e até mesmo lidar com vetorização não é um problema para quem usa Linux, editar vídeo também não deve ser, certo? Certo! Há inúmeros bons programas neste ramo disponíveis para as distribuições do sistema livre, então você precisa apenas encontrar aquela que se enquadra em sua necessidade.

Um dos principais nomes do gênero para Linux é o Cinelerra, programa repleto de recursos avançados para captura, gerenciamento e edição de vídeo. Outro nome que conquista profissionais no ambiente livre é o Lightworks, aplicação que não é totalmente gratuita, mas que vale muito a pena investir.

Se o negócio é computação gráfica, o Blender 3D é o grande nome do gênero. Ele é um aplicativo open source e está disponível para Linux, podendo trabalhar perfeitamente com as principais distribuições existentes na atualidade.

Outros softwares do gênero que devem ser olhados com atenção são Avidemux, Pitivi e Jahshaka.

3. Jogar, jogar e jogar

No Linux também funcionaSteam também funciona no Linux. (Foto: Reprodução/OMG Ubuntu)

Se você está no mundo da computação há algum tempo, sem dúvida já deve ter ouvido a frase “não há bons jogos para Linux”. E ela fez todo sentido durante um bom tempo, mas vem mudando nos últimos anos — e a ideia é mudar ainda mais daqui para frente, não duvide.

Fãs do mercado de jogos independentes provavelmente já sentem os ventos da mudança soprando mais forte em seus rostos vindos direto de uma distribuição Linux. Isso porque os desenvolvedores indies já há algum tempo vêm apostando no sistema operacional livre como uma forma de aumentar o alcance de seus games e, por que não, a sua receita.

Porém, o Linux tem ido além disso: o Steam, uma das maiores e mais conhecidas lojas de distribuição digital de games, já conta com versão oficial para Ubuntu (e também para todos as distribuições baseadas nele) com um número crescente de títulos disponíveis, inclusive grandes jogos.

Além do Steam, a Desura, loja de distribuição digital focada no mercado indie, também conta com versão para várias distribuições Linux. Nela, você pode encontrar basicamente todas as novidades do mundo independente da criação de jogos, podendo instalar boa parte deles em sua distro.

No Linux também funcionaGOG Galaxy deve chegar em breve ao Linux. (Foto: Reprodução/Site oficial)

Outro nome da distribuição digital, o GOG Galaxy chegou com tudo no mercado ao oferecer preços interessantes, muitas vezes melhores do que os do Steam. Ele ainda não conta com versão para Linux, mas, como dá para ver em sua página oficial, isso deve acontecer em breve.

Além disso, outras lojas consagradas, como a Origin, também podem vir para o Linux com algumas gambiarras. Há inúmeros tutoriais em vídeo altamente explicativos para você tentar trazer a plataforma digital da Electronic Arts para o sistema do pinguim.

4. Editar áudio de forma avançada

No Linux também funcionaArdour é uma caixa de ferramentas para a manipulação de áudio. (Foto: Divulgação/Site oficial)

A edição de áudio no Linux também conta com ótimos programas à disposição de seus usuários. O nome mais conhecido de todos é o Audacity, software que faz bastante sucesso também entre usuários de Windows e que oferece ferramentas variadas para captura e edição de áudio.

Outro grande nome do setor é o Ardour, uma workstation para quem busca uma plataforma para trabalhar com áudio de maneira profissional. O programa está repleto de recursos avançados para manipulação de faixas de áudio em todos os aspectos, deixando o som do jeito que você quiser.

Mas há ainda outros programas que você pode ficar de olho caso queira editar áudio em alguma distribuição Linux: LMMS, Sweep, Jokosher e Traverso DAW são alguns deles. O projeto Libre Music Production reúne a comunidade de músicos e produtores simpatizantes do software livre e oferece uma lista de programas para edição e produção de áudio para Linux.

5. Ser DJ

No Linux também funcionaMixxx não deixa você na mão na hora de atacar de DJ. (Foto: Divulgação/Site oficial)

Ainda sem sair do âmbito da música, ser DJ amador ou profissional é outra possibilidade que o Linux oferece. Além dos vários programas indicados acima, que podem dar conta da criação musical em seus diversos aspectos, há ainda a possibilidade de atacar de DJ em sua casa, em festas de amigos ou até mesmo de um jeito mais profissional.

E existem algumas boas opções para isso no Linux. Uma das mais poderosas — e provavelmente a mais conhecida — de todas elas é o Mixxx. Ele oferece inúmeros recursos para você combinar suas músicas, aplicar efeitos e agitar uma festa como um DJ profissional.

Outro grande nome disponível para o sistema do pinguim é o Ultramixer. Ele é bem semelhante ao Mixxx, então a diferença fica apenas nos detalhes. Preste atenção aos recursos de cada um para chegar à conclusão de qual é melhor e faça o download gratuito em seu computador.

Quer ainda mais um nome quando o assunto é a criação música? O TerminatorX é um sintetizador potente, repleto de ferramentas para você trabalhar em uma música, samplear mixes dentro dela, misturar tudo e produzir como um bom DJ deve fazer.

6. Trabalhar com editoração gráfica e vetorização

No Linux também funcionaInkscape é uma alternativa de respeito ao CorelDraw. (Foto: Divulgação/Site oficial)

Vetor no Windows é sinônimo de CorelDraw, programa que não conta com versão oficial para Linux. Porém, no ambiente do sistema livre, você também pode optar por algumas alternativas que oferecem basicamente os mesmos recursos. O principal nome do gênero é o Inkscape (que também tem versão para Windows), com visual muito bem organizado e repleto de recursos.

Se o assunto é a editoração gráfica, o grande nome do Windows é o Adobe InDesign, que também não conta com versão oficial para o sistema operacional livre. Então, é possível recorrer a um similar bastante competente e repleto de recursos, como é o caso do Scribus.

Este é o grande nome “alternativo” da editoração, contando também com uma edição dedicada ao Windows. Este setor é pouco povoado no Linux, mas você também pode optar pelo Passepartout, aplicativo que reúne uma boa quantidade de ferramentas e pode dar conta de algumas necessidades básicas quando o assunto é preparar uma publicação.

7. Rodar outros sistemas operacionais

No Linux também funcionaRodar outros SOs dentro do Linux não é um problema. (Foto: Reprodução/Linoob)

Há diversas possibilidades dentro do Linux, inclusive a de rodar outros sistemas operacionais ali. Isso mesmo, com o auxílio de uma máquina virtual, você pode instalar não somente o Windows, mas também outras distribuições dentro de um único ambiente, acessando tudo de forma prática.

Os nomes mais conhecidos do gênero com versão para Linux são o VirtualBox e também o VMware. Mas, além deles, você conta com os préstimos de outro aplicativo também bastante poderoso chamado QEMU. Então, verifique mais detalhadamente os potenciais de cada um e escolha o ideal.

Fonte: Canaltech