Como identificar tablets, smartphones, softwares e aplicativos piratas?

A pirataria de aparelhos eletrônicos e softwares está cada vez mais desenvolvida e mais presente em lojas e postos de venda “alternativos”. Vendedores mal intencionados muitas vezes tentam empurrar a ideia de que ali, na sua frente, está um produto original e com um desconto quase inacreditável, mas, na verdade, o objeto não passa de uma falsificação. Portanto, seguem algumas dicas para você conseguir identificar se um produto ou software é falsificado ou não.

Entre os favoritos da pirataria atualmente estão os smartphones e tablets. A grande procura por estes produtos aumenta o comércio ilegal, e entre os problemas que os gadgets falsificados trazem está o risco de cabos que dão choques e baterias mal vedadas que podem oferecer riscos à saúde. Além disso, eles envolvem uma quantia de dinheiro que pode se tornar uma perda para o consumidor.

Portanto, desconfie de preços muito abaixo da tabela. Mesmo que seja possível encontrar gadgets com descontos, dificilmente um item que custa R$ 2.000 custará R$ 200 em outro local. A aparência do aparelho também entrega sua veracidade. Normalmente, produtos piratas não possuem um acabamento bem feito e apresentam rebardas, encaixes com frestas e manchas. Alguns não são identificados com o nome do fabricante ou estes saem com facilidade, além de não virem com manual do usuário nem caixas identificadas.

Pirataria celular

Caso o preço e a aparência ainda não tenham se mostrado muito diferentes do original, teste o aparelho para confirmar suas funcionalidades. Preste atenção nos ícones, na definição das fontes do texto e tente encontrar aplicativos nativos do sistema operacional. Alguns programas estão em todas as variedades de Android e duvide se não encontrá-los. A execução de alguns aplicativos também irá te mostrar se o gadget em questão apresenta a qualidade de processamento e imagem que se espera de um original.

Normalmente, produtos top de linha não oferecem funcionalidades como TV Digital e suporte para dois chips. Portanto, desconfie se este tipo de opção for oferecida. Parece brincadeira, mas não é: alguns iPhones são oferecidos com sistema Android! Neste caso, não tenha dúvidas da origem “torta” do produto.

Outra dica pode te ajudar a evitar a compra de um produto falsificado. A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) criou, há alguns anos, um selo de identificação da origem do produto. Ele pode ser visualizado dentro do dispositivo, quando a bateria é retirada. O IMEI é outra forma de conhecer o registro do aparelho, e ele pode vir colado na parte interna do produto ou na caixa.

Software

Quando o assunto é software, ainda há uma grande quantidade de pirataria sendo praticada. Entre os mais afetados está o Windows, que desenvolveu uma série de mecanismos para que o comprador possa identificar a origem do DVD.

No caso do disco do sistema operacional do Windows, por exemplo, há duas etiquetas: uma com o logo do sistema operacional com holografia que muda de cor, e outra chamada Etiqueta de Certificado de Autenticidade (COA), onde constam o nome do produto e uma sequência de segurança trançada e incorporada às fibras do papel, que não permitem que ela seja retirada sem que danifique sua aparência.

No caso do Windows, o CD ou DVD ainda vem com uma inscrição holográfica na borda onde se lê “Microsoft” e, mudando o ângulo, “Genuine”.

Outros softwares originais também apresentam selos parecidos. Este é o principal detalhe a ser observado ao comprar um programa em mídia física.

Aplicativos

No caso dos aplicativos, algumas dificuldades surgem na hora de identificar sua origem. Sem a possibilidade de selos ou etiquetas, os apps falsos normalmente imitam apps gratuitos, que passam despercebidos durante a instalação. O principal problema é que esses apps e jogos muitas vezes carregam malwares com o objetivo de infectar gadgets e roubar dados pessoais.

Pirataria app

Neste caso, para identificar programas e apps falsos, o indicado é que você confira com muita atenção o logo e também a grafia para conferir se não há nada anormal ou se há algum erro de português. Outra dica é conferir o nome do desenvolvedor e, então, buscar sobre ele.

A forma mais segura de fazer seus downloads é sempre através das lojas autorizadas de cada plataforma: Google Play, iTunes Store, Amazon App Store e a loja da Microsoft. Mas isso não é suficiente, já que mesmo nas lojas oficiais há presença de apps maliciosos. Então, é legal você dar uma olhada no número de downloads que o app teve e também nas notas e opiniões emitidas por outros usuários. Normalmente, este é um bom medidor da confiabilidade daquele app.

Outros dispositivos

Para componentes de hardware, a principal indicação é conferir o número de série que estará inscrito na caixa ou na peça. Alguns fabricantes disponibilizam em seus sites áreas exclusivas para este tipo de consulta.

Normalmente, na parte traseira das peças ou produtos, ainda há uma etiqueta de identificação que contém data de fabricação, número de série, ID e outras informações.

Para cartuchos de impressora, a embalagem também trará alguns indícios. Desconfie de caixas sem identificação e preços muito baixos. Esses produtos também vêm identificados com selos e holografias.

Com essas dicas, as chances de você se comprometer com um produto falsificado diminuem bastante. Fique atento e, quando desconfiar, pesquise bastante antes de finalizar a compra! Certamente, outras pessoas já tiveram as mesmas dúvidas que você e basta “dar um Google” para trocar informações.

Fonte: Canaltech
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s